O rato roeu a roupa do rei de Roma! *

Estava em abstinência das brincadeiras com palavras já em 60 dias, tal qual olheiro de futebol, observando as arenas e buscando a lógica do Coliseu. Assistindo a pouco, entrevista do ex-ministro petista Gilberto Carvalho, percebi o que estamos vivendo desde o primeiro governo Lula, sabidamente o tenor lírico petista. Sindicalista das massas, notável Orfeu encantador de plateias com megafone em punho. Desde nossa descoberta, lá nos idos 1.500, onde índios anfitriões trocavam sua delação, digo colaboração e simpática anuência aos ventos civilizatórios catequistas por espelhinhos e outras bugigangas, implantado o “toma lá, dá cá”.  Realmente faz sentido o descobridor Caminha em sua primeira revelação antropológica: “em se plantando, tudo dá”.

Fato é que alguém tem que plantar, e como necessariamente os indígenas são os primeiros epicuristas do qual temos notícia, onde machos dispõe das fêmeas no trabalho pesado, vivendo dia após dia pelados e consumindo apenas recursos naturais disponíveis. Trazidos degredados pra cá, estes então começaram nosso modelo colônia penal, construindo em grilhões nossas primeiras edificações, naturalmente militares para que protegido fosse o novo mundo. Posteriormente conquistamos nossa primeira organização social em capitanias hereditárias, cujas linhas traçadas diferentemente das Tordesilhas amparadas cientificamente em Sagres, nasceram à custa do sangue dos nobres Bandeirantes, derramado em suas corajosas expedições tupiniquins. Com o domínio do Cabo Bojador e o contorno de África em nova rota das Índias, descobriram também os lusos que além dos mouros (negros que tomaram Constantinopla e escravizaram os brancos por 700 anos, inclusive torturaram e deram fim em Dom Fernando na retomada Ilha de Ceuta). Havia um costume das tribos mais embaixo. Onde os nativos negros faziam pós-guerra doméstica, igualmente escravos seus rivais, donde os navegadores vislumbraram novo tipo de “negócio”. Compravam os escravos negros dos negros e começaram o movimento de exportação da nova mão de obra pra cá. Donde por réplica da opressão vem sustentar nosso pioneiro plantio de commodities desenvolvido em razão das necessidades europeias de açúcar e posteriormente café. Já de tempos desenvolvemos nossa economia e política trabalhista pela necessidade e interesses estrangeiros.

Finalmente com o Império Napoleônico, amedrontada família real portuguesa foge para nosso Brasil, dando-nos upgrade de “Nação”, Novamente de fora para dentro evoluímos no tranco com choque civilizatório. Fato que essa cultura de “país dos outros” começa a mudar com D. Pedro I proclamando Independência, e quando D. Pedro II bem conduzia nosso efetivo desenvolvimento, inclusive com abolição da escravatura, criação da UFRJ, entre outras inovações como desenvolvimento da telefonia. Novamente de fora pra dentro, os Positivistas arranjam a República golpe dum Deodoro alagoano gripado.

Vivemos a ditadura Vargas que deu-nos a CLT, a PETROBRAS, e a SIDERÚRGICA NACIONAL. Atualmente seriamente ameaçadas pela gestão democrática sucessora da mais recente ditadura Militar, que deu-nos autossuficiência em petróleo, os CORREIOS, vasta malha rodoviária e ferroviária, bem como planejamento estratégico energético e Universidades Federais respeitadas internacionalmente, dois Partidos Políticos suficientes, ARENA e MDB. Tudo destroçado pela atual República da Anistia Política, que importou do nostálgico exílio a gestão da calamidade. Pois que FHC começou bem (Itamar saudoso, já tinha arrumado a casa) com o Plano Real, padrinho de Aécio, aquele um dos exilados retornáveis, sendo também seu próprio mentor. Aliás, única diferença do carismático Orfeu, digo Lula, cujos mentores são José Dirceu, expertise José Sarney, Mercadante e Dilma, que também começou bem em 2003, mas permitindo-se marionete dos já citados condutores, criou a partir do “mensalão” (necessária ferramenta política), corrupção gulosa organizada de causar inveja, aqui novamente de fora pra dentro, do povo. Agora, enfrentam Lula e outros piratas aliciados suas Mênades judiciárias, aquelas que não conseguiram comprar, melhor dizendo roer a toga…

José Carlos Paiva Bruno
OABRJ 73304
* Publicado em http://www.horizontems.com.br/colunas-ler/o-rato-roeu-a-roupa-do-rei-de-roma-/1188
* Publicado em http://www.revistaevidencia.com/2017/06/o-rato-roeu-a-roupa-do-rei-de-roma/
Anúncios
Publicado em Entretenimento | 2 Comentários

Lá Lá Longe *

Fomos assistir – eu e minha mulher – ao campeão do Oscar recentemente. Tanto além de La La Land onde o Fred Astaire contemporâneo Ryan Gosling corteja Emma Stone, em dia seguinte A Muralha. Produções esmeradas tanto em fotografia humana quanto paisagem, diálogos envolventes em ambos, destacada miséria humana com efeito de sua antiguidade na igual China em 3D.

Confirmando-se que a vida imita a arte muito mais do que a arte imita a vida, do dramaturgo Oscar Wilde (1854-1900), tomado estou pelo medo do que estamos fazendo conosco sociedade humana. Certo que os monstros mitológicos em castigo da Muralha estão realmente dentro de nós, e parece-me vencendo… Convido leitores ao esforço analítico para verem o que vi: belos casais protagonistas terminam separados, nitidamente por seus planos pessoais serem maiores do que o Amor ofertado pelo destino cinematográfico. Lembrando obra póstuma do poeta Carlos Drummond de Andrade (1902-1987) O avesso das coisas, que diz também: não é fácil ter paciência diante dos que tem excesso de paciência.

Bom, sou do tempo em que a mulher era o grande prêmio do homem, não necessariamente nessa mesma ordem. Então não consigo entender o périplo de ações em almejar o sucesso dispensando-se o prêmio happy end. Caminhamos para solidão? De que adiantam holofotes, ouro e pólvora? Tornamo-nos escravos do epicureu e da ausência quando passamos a nos alimentar da solidão egocêntrica.

Humanos estarão alienados ou enfastiados pela conectividade virtual atual? A quem interessa o empoderamento metrossexual da geração Y? Talvez os sexos estejam perdidos em tentarem trocar seus papéis, talvez quantidade avassaladora de informação esteja sequestrando a naturalidade, talvez estejamos à mercê duma ditadura robótica. Ainda me lembro da emoção que passou a cena da replicante Sean Young derramando uma lágrima por Harrison Ford em Blade Runner (1983). Ali estava fronteira máquina versus humano, o sentir. Imaginem caso Adão e Eva não acasalassem? Certamente não estaríamos aqui. Longe ou perto o que decidirmos hoje, decidirá nosso amanhã…

José Carlos Paiva Bruno
OABRJ 73304
* Publicado em http://www.horizontems.com.br/colunas-ler/brincadeiras-com-as-palavras-/1181
Publicado em Entretenimento | Deixe um comentário

Pau que dá em Chico; dá em Francisco! *

moreira-franco-caricaturaParafraseando PGR Janot. Azáfama em que vivemos nos desmandos, rebeliões, greves policiais, pilhagens urbanas, ainda regionais. Tememos agora pela nacionalização da balbúrdia, ponto crucial para nosso presidente Temer. Ou ele arruma a casa, ou vai sucumbir com ela. Sem precedentes o que estamos vivendo, tanto pelo volume da roubalheira, quanto pelos efeitos nefastos ora percebidos. Crise institucional, moral e material. Afinal são vinte milhões desempregados, estes propensos ao crime social diante daqueles suspensos em foro privilegiado, os tais do colarinho branco, breve estarão manchados pelo sangue dos usurpados possivelmente. Ainda tem espaço na mídia para calúnias profissionais, a exemplo dos contrários à indicação do Prof. Alexandre de Moraes ao STF, não restou senão publicar em meu perfil facebook seu briefing disponibilizado pelo conceituado veículo jurídico Migalhas onde comprovada fartamente sua idoneidade e notável saber forense. Por outro lado assim como candidata política no Espírito Santo participando de saques, cada vez mais black-blocs infiltrados em manifestações que deveriam ser exclusivas de cidadãos decentes. Horrores agora em Rio de Janeiro com depredações efetivas.

Meu primo Ricardo Bruno, respeitável jornalista, vem dizer em seu perfil a pouco da judicialização política que estamos em torvelinho. Data vênia ocorre ao Judiciário, que também não é santinho, mas certamente o menos endemoniado, traduzir o recurso final da população antes das Forças Armadas. Percebo que bons Juízes em todas as instâncias, face aos inquéritos e prisões recentes, encontram-se estupefatos com audácia criminosa apurada, onde natural que procedam à responsabilidade das togas.

Como bem diz Guzzo na Veja: Aqui o homem mau dorme bem. Sempre podendo piorar: Lei de Murphy, nosso constitucinalista Presidente pretende nomear Moreira Franco Ministro, pós-delação incriminatória incontroversa recente. Onde Juízes Federais em analogia ao caso anterior do chefe de quadrilha política Lula, obviamente sustaram o ato. Ainda bem, tal como a corajosa cassação carioca de Pezão Bezerra e seu vice pelo TRE, calçado ao mau exemplo Renan resiste no cargo. Senador Lobão agora no comando CCJ, cuidem-se ovelhas em recorde participantes Lava Jato. Seguindo-se atmosfera da lei astronáutica já citada, FHC aparece defendendo Lula e cuspidor Jean Wyllys. Tucano superando-se exponencialmente ao susto anterior quando externou posição pela liberalização da maconha e similares. Sarney sumiu, dizem os oficiais de justiça tentando cumprir Dr. Moro. Desta feita, caso a república das bananas sobreviva estaremos definitivamente sedentos pelo oásis São Paulo ou pelo potássio Bolsonaro. No way out!

José Carlos Paiva Bruno
OABRJ 73304
* Publicado em http://www.horizontems.com.br/colunas-ler/pau-que-da-em-chico-da-em-francisco-/1173
Publicado em Entretenimento | 1 Comentário

Alerta tímido *

brasil-ordem-e-progressoConsidero respeitável e muito eficiente o canal GLOBO NEWS, mormente espantou-me a experiente jornalista Leilane Neubarth agora pouco classificar de imprópria a expressão “acidente pavoroso” em tom irônico, utilizada em pronunciamento oficial do Excelentíssimo Senhor Presidente da República pela manhã de hoje. Preparado culturalmente, reiterando, nosso também pedagógico estadista. Via TWITTER esclareceu elegantemente valendo-se do dicionário para equivalência à palavra tragédia. Seguindo-se espantalho, pior ainda revelou fala do comentarista político Gerson Camarotti, classificando, como se pudesse, de “alerta tímido”, documentos oficiais da empresa responsável pela gestão terceirizada do presídio palco da fuga em massa e acerto de contas entre criminosos.

Fato é que o episódio da barbárie – estendido na madrugada às vias públicas – em suas decapitações e na inércia estadual que o possibilitou, pode mesmo revelar nas palavras do Governador José Melo de que “ninguém por lá é santo”, uma conveniente queima de arquivo. Observando em pretérita revelação da Revista VEJA, relembrada oportunamente por matéria do Jornal O GLOBO de 03.01.2017: No áudio, o traficante promete até cem mil votos a Melo para que ele não os “prejudique”. O representante do governo diz que “ninguém vai mexer” com os criminosos. O governo do Amazonas exonerou o major Brandão do cargo e informou na ocasião, em nota, que iria apurar “a veracidade do conteúdo da gravação”. “A mensagem que ele (governador) mandou pra vocês, agradeceu o apoio e que ninguém vai mexer com vocês, não”, diz, no áudio, o major Brandão. Penso que as necessárias investigações federais deveriam ter sido concluídas no governo Dilma. Onde estão?

Então, afora vergonha da Desembargadora amazonense “vendedora de sentenças”, afastada do cargo temporariamente. Aqui sim em alerta mínimo. Esperamos que a visitinha da Ministra Carmem Lúcia, coloque os pingos nos is.

Fico com o alerta máximo do Dia de Reis, agora neste dia seguinte, reconhecendo a realeza divina do Deus menino. Estrela de sua guia seja nossa, especialmente do Presidente Michel Temer a quem pedimos, saiba trazer o Brasil de volta ao caminho do desenvolvimento e justiça, com determinação e coragem. Afinal, como dizem lá na roça: O que faz boi ladrão é cerca ruim!

José Carlos Paiva Bruno
OABRJ 73304
* Publicado em http://www.revistaevidencia.com/2017/01/alerta-timido/
* Publicado em http://www.horizontems.com.br/colunas-ler/alerta-timido/1164
Publicado em Entretenimento | 2 Comentários

Engrenagens *

engrenagens-chaplinCostumo comparar o sistema político republicano à máquina fantástica com várias engrenagens impulsionando-se entre si. Seriam elas nossas instituições, azeitadas permanentemente em democracia para o equilíbrio e timing das transferências de força motriz. Tratamos aqui dum perfeito Montesquieu e seu Espírito das Leis, idealizado para que o povo efetivamente representado tríplice possa desfrutar da maior liberdade e proteção possíveis, evidente que com a necessária responsabilidade. Onde vale lembrar em cadeia do sagrado Direito, que o de cada cidadão termina onde começa o do outro.

Vemos na teoria do caos atual, verdadeiro desfile de vaidades exageradas, onde personalidades públicas várias tentam atrair para si, agora em nova metáfora, o cargo “luz no fim do túnel”. Pura idiossincrasia onde o que menos importa agora seja destacar-se desequilibrando, inda que para o fleumático agradar às ruas. Capengando a máquina por quixotescas atitudes descompasso, corremos o risco em perdermos ainda mais como todo: político, econômico e social. Como diria Ferreira Gullar “a poesia nasce do espanto”!

Em lado oposto teríamos o igual irresponsável laissez-fair, aqui como um deixar correr. Aqui com todo respeito aos liberais, e não estamos falando da Economia, e sim da gestão como todo republicano. D. Paulo Evaristo Arns deixa-nos o recadinho da esperança, emérito religioso, íntegro defensor dos Direitos Humanos, nunca acobertou safadeza e tirania, nem da direita tampouco da esquerda. Diferentemente como alguns jornalistas tentam impor-lhe uma emblemática de resistência à ditadura, D. Paulo atuou com firmeza para conter excessos de ambos os lados, quando teve coragem em visitar o Presidente Médici levando exemplar da Rerum Novarum, o fez de peito aberto, evidente que por sua condição moral. Construída por trajetória onde ressaltamos desprendimento em ter vendido o palácio destinado à sua residência em São Paulo, para em filantropia, impulsionar pioneiramente os movimentos de base vislumbrando resgate daqueles efetivamente desamparados social e culturalmente, atuando como inspirador Poder Moderador exemplar, sendo este papel relevante da Santa Igreja além da salvação das almas.

Presidente Temer sofre rejeição por ter herdado – dívida de quatro trilhões de reais – legado da absoluta incompetência anterior, que criminosamente trouxe-nos à Economia recessiva depauperada atual, evidente que devemos confiar na legalidade que o investiu na Presidência, onde vale ressaltar além o seu preparo pessoal, absolutamente diferente de seus atávicos. Agora cabe a nós cidadãos resiliência para apoio republicano, ou queremos novamente o tranco da supressão dos direitos e garantias individuais…

Necessária sim nova legislação para limitação dos gastos governamentais, para os abusos judiciais, como também para absurdos supersalários públicos e também para anistia do “caixa dois”, este culturalmente arraigado, então melhor começarmos legislando e cobrando doravante, sob pena de não sobrar ninguém caso enquadrem o “jeitinho brasileiro” anterior, sem falso pudor. Ou também desejamos proposta de reforma da Previdência como está, onde quero crer por sugestão de “gorduras”, temos terrível possibilidade inconstitucional de que cidadãos recebam menos que um salário mínimo. Então Renan Calheiros tem um lado necessário, seja por retaliação ou não. Assim como Eduardo Cunha que nos permite discutir agora alternativas, pois que caso evolvêssemos para estado venezuelano, talvez estivéssemos desesperadamente atravessando a fronteira para comprar mantimentos na Argentina.

José Carlos Paiva Bruno
OABRJ 73304
* Publicado em http://www.horizontems.com.br/colunas-ler/engrenagens/1160
Publicado em Entretenimento | Deixe um comentário

Do lado de lá *

pato-donald-reiPor cá ficamos satisfeitos com Donald Trump, João Dória, Marcelo Crivella e Diogo Balieiro, que corajosamente enfrentaram o tradicional jornalismo prato feito, este empenhado em fabricar resultados. Ocorre que população está enfastiada das canções de sereias que seduzem ao fundo do mar, em tempo aqui no Brasil e Argentina levaram ao fundo do poço. Imagino que na Venezuela também, assim diz a foto pretérita do tirano sucessor de defunto chavista Maduro e seu ex, veiculada na bendita mídia digital. Ainda livre propulsora de fatos e fotos, como a voz WykiLeaks. Bem que ainda temos jornalistas como: Diana Johnstone, Merval Pereira, Míriam leitão, Eliane Cantanhêde, Guga Chacra e Sérgio Aguiar. Com postura analítica isenta e matemática histórica geopolítica efetiva.

EUA e Brasil tem realmente uma sintonia de homens de bem, os Federais falam a verdade onde e quando necessário, neste fortalecimento institucional é no que acreditamos. São efetivamente heróis atuais o Diretor James Comey e nosso Juiz Sérgio Moro, cuja expertise cognitiva, transparência e coragem revelam desmascarando projetos de poder populistas sádicos e covardes, patrocinados pela corrupção. Limpeza por cá tem que prosseguir, traduz caminho sem volta, torço para que o Presidente Temer mantenha firmeza diante das apurações criminosas e nos dê além da necessária recuperação econômica, caminho em direção à verdade. Doutro modo haverá retrocesso democrático.

Hillary foi no mínimo irresponsável ao utilizar e-mail particular para tratar assuntos de Estado, e no máximo articuladora pretensiosa duma intervenção no mundo árabe, pretendendo redesenhá-lo pós Bush e necessária primeira intervenção – Tempestade no Deserto – no Iraque, o que se viu depois foram disfarçadas remodelagens políticas apoiadas por Clinton e Obama, sendo este menos perverso no aprofundamento do terrorismo e seu fomento, por não tratarem suas raízes e sim seus efeitos. Ao menos Obama foi nacionalista mesmo democrata quando salvou a indústria automobilística norte-americana e tratou com isenção, seguindo a Bush e pós-intervalo Clinton, os pilantras da bolha imobiliária. Resta agora em política internacional que Donald Trump trate questão estopim do Oriente Médio – Palestina; e a partir daí separe o joio do trigo. Combatendo também acordos de comércio pífios, onde estimuladas a fuga do capital e tecnologia, e consequente bem estar social. Bendito por Adam Smith!

Penso que grandiosa e verdadeira vitória atual seja o redescobrimento dos valores saudáveis, do rubor envergonhado, lá do tempo dos desenhos Disney, daquele Pato Donald apaixonado pela Margarida, dos sobrinhos escoteiros, das soluções simples, da família honrada, de primeiramente consertarmos a própria casa e com excedente praticarmos caridade, e que seja bom para todos, dos lados de lá e de cá.

José Carlos Paiva Bruno
OABRJ 73304
* Publicado em http://www.horizontems.com.br/colunas-ler/do-lado-de-la/1142
* Publicado em http://www.revistaevidencia.com/2016/11/do-lado-de-la/
Publicado em Entretenimento | 3 Comentários

Do lado de cá *

camiseta-brasilOcidentais que somos, somos com muito orgulho. Graça que passa e zomba até dos Nostradamus destinos, assim somos tudo, menos cretinos. Ginga do Capitalismo é imortal, até diante de freixos e gueixos, nossa estrutura livre ocidental autônoma responde sempre. Axé no Rio de Janeiro, que continua lindo, mesmo solapado pela corrupção irmanada à incompetência política. Sabemos do quadro caótico das finanças públicas cariocas, já de tempos. Ocorre que por detrás existe o famoso charme carioca e sua predileção épica esquerdista. Leitura nacional mostra o banimento vermelho petista, mormente e quente que agora o Coliseu é da cruz versus caldeirinha, então espero que o Rio olímpico, cidade maravilhosa do mundo, fique com a cruz em segundo turno. Oxalá!

Ser ocidental é mais que um estado de espírito, é respirar uma liberdade oxigênio, é trazer uma blindagem DNA frente aos loucos fundamentalistas, os tais que nascem em trilho filosófico, defendendo sua posição como melhor por ser única, onde retirado direito de escolha pelo desconhecimento doutros caminhos; em tempo o que nos recentes treze anos tentaram por aqui. Fracasso em sua perversidade do populismo das cotas e aprovação automática, ideologia de gênero, aborto na prateleira do mercado, liberação das drogas, entre outros infames artifícios doutrinadores valendo-se para tal inclusive dos programas sociais. Fracassaram porque o povo brasileiro é especialmente dono de seu destino, sempre foi assim, até o necessário movimento militar de 1964 foi outorgado pelas ruas. Agora com eleições municipais fizemos um movimento parecido, dentro da democracia que conquistamos e soubemos fortalecer, varrendo do poder os petistas. Importante esclarecer que PSOL e parte da REDE são petistas travestidos em zona sul. Cabe esclarecimento para segundo turno carioca avizinhando-se em bons e maus, Rio 40 graus.

Instituição isenta e fortalecida: exemplo do TCU reprovando as contas governo 2015 da ex-presidenta, esperamos que o Congresso Nacional ratifique e não venha fatiar novamente, como naquela outrora culinária vergonhosa arranjada de última hora.

Bem verdade que o Marx – considerado por mim um purista nefasto – em sua obra laica inacabada, produzida no conforto da biblioteca londrina com patrocínios que sempre levaram a ele capital e nunca trabalho. Talvez sem trabalho o Homem não precise da Fé, tampouco da Liberdade.

José Carlos Paiva Bruno
OABRJ 73304
* Publicado em http://www.horizontems.com.br/colunas-ler/do-lado-de-ca/1121
Publicado em Entretenimento | 3 Comentários