Do lado de cá *

camiseta-brasilOcidentais que somos, somos com muito orgulho. Graça que passa e zomba até dos Nostradamus destinos, assim somos tudo, menos cretinos. Ginga do Capitalismo é imortal, até diante de freixos e gueixos, nossa estrutura livre ocidental autônoma responde sempre. Axé no Rio de Janeiro, que continua lindo, mesmo solapado pela corrupção irmanada à incompetência política. Sabemos do quadro caótico das finanças públicas cariocas, já de tempos. Ocorre que por detrás existe o famoso charme carioca e sua predileção épica esquerdista. Leitura nacional mostra o banimento vermelho petista, mormente e quente que agora o Coliseu é da cruz versus caldeirinha, então espero que o Rio olímpico, cidade maravilhosa do mundo, fique com a cruz em segundo turno. Oxalá!

Ser ocidental é mais que um estado de espírito, é respirar uma liberdade oxigênio, é trazer uma blindagem DNA frente aos loucos fundamentalistas, os tais que nascem em trilho filosófico, defendendo sua posição como melhor por ser única, onde retirado direito de escolha pelo desconhecimento doutros caminhos; em tempo o que nos recentes treze anos tentaram por aqui. Fracasso em sua perversidade do populismo das cotas e aprovação automática, ideologia de gênero, aborto na prateleira do mercado, liberação das drogas, entre outros infames artifícios doutrinadores valendo-se para tal inclusive dos programas sociais. Fracassaram porque o povo brasileiro é especialmente dono de seu destino, sempre foi assim, até o necessário movimento militar de 1964 foi outorgado pelas ruas. Agora com eleições municipais fizemos um movimento parecido, dentro da democracia que conquistamos e soubemos fortalecer, varrendo do poder os petistas. Importante esclarecer que PSOL e parte da REDE são petistas travestidos em zona sul. Cabe esclarecimento para segundo turno carioca avizinhando-se em bons e maus, Rio 40 graus.

Instituição isenta e fortalecida: exemplo do TCU reprovando as contas governo 2015 da ex-presidenta, esperamos que o Congresso Nacional ratifique e não venha fatiar novamente, como naquela outrora culinária vergonhosa arranjada de última hora.

Bem verdade que o Marx – considerado por mim um purista nefasto – em sua obra laica inacabada, produzida no conforto da biblioteca londrina com patrocínios que sempre levaram a ele capital e nunca trabalho. Talvez sem trabalho o Homem não precise da Fé, tampouco da Liberdade.

José Carlos Paiva Bruno
OABRJ 73304
* Publicado em http://www.horizontems.com.br/colunas-ler/do-lado-de-ca/1121
Anúncios
Esse post foi publicado em Entretenimento. Bookmark o link permanente.

3 respostas para Do lado de cá *

  1. Gabriela disse:

    Com o aborto na prateleira do mercado, dá um impacto, um choque para triste realidade que as más escolhas nos colocam. Um texto que relata o porvir, estamos procurando a saída, mas a seta indica a entrada de pessoas não confiáveis. Sem trabalho o homem não precisa dos vampiros da fé, o vandalismo não pode imperar.
    Parabéns pelo texto!

  2. Lola Otero disse:

    Esperamos, que as mudanças sejam para melhor…. pois o Rio lindo, chegou ao fundo do poço…..Que novas atitudes levantem os ânimos…..

  3. Marizza Eipper disse:

    Parabéns belíssimo texto… Como sempre, Perfeito !
    Obrigada !

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s